Anuário Datafolha Top Mind 2021-2022

Pesquisa Exclusiva

CONSTRUTORA

Pela segunda vez consecutiva, a MRV obteve o maior índice da categoria Construtora, da pesquisa Anuário Datafolha Top of Mind. A marca foi citada espontaneamente, nesta edição 2021-2022, por 11,4% dos entrevistados, ante 12% do ano passado. Entre as classes A e B, a MRV atinge 16,7%, se destacando também entre os que possuem renda familiar mensal de cinco a dez salários mínimos (15,6%).

“Atribuímos essa lembrança e o bom resultado na pesquisa a uma sólida estratégia da empresa. Posso dizer que hoje, para toda tomada de decisão, colocamos ainda mais o cliente no centro, no foco. Independentemente do público-alvo a que nos dirigimos ou atuamos, a MRV preza sempre por qualidade em suas construções, em seus imóveis, buscando o que há de melhor em termos de parceiros, visando o privilégio em localizações e assim segue. O resultado, a consequência do bom trabalho é esse reconhecimento por parte dos cearenses”, afirma o gestor comercial da MRV Engenharia, André Lorenzoni.

A empresa foi fundada em outubro de 1979, em Belo Horizonte (MG), e está presente em mais de 160 cidades de 22 estados e no Distrito Federal (DF).

Depois da MRV, aparece na pesquisa, em seguida, Mota Machado, com 8,1%, o que caracteriza empate técnico no primeiro lugar, levando em conta a margem de erro de quatro pontos percentuais para mais ou para menos. Foram citadas, também, Marquise (7%), Colmeia (6,5%), C. Rolim Engenharia (3%), Diagonal (1,7%), Queiroz Galvão (1,6%), Moura Dubeux (1,6%), Construtop (mesmo não sendo construtora, foi citada por 1,5% dos entrevistados), Nossa Senhora de Fátima (mesmo fora do mercado, obteve 1,5%), entre outras marcas menos lembradas.

Na lista, a cearense Marquise vive momento de expansão. A receita operacional bruta chegou a R$ 560 milhões. O resultado conferiu à Marquise a liderança no ranking da Engenharia no Norte e Nordeste e a 19º lugar no Brasil, segundo a revista O Empreiteiro.

A parcela que não soube informar o nome de nenhuma construtora vem diminuindo: era 53,3%, em 2016, 35,5%, em 2020, e, agora, 24,2%. Entre as mulheres, o índice de desconhecimento de marca de construtora é mais alto (31,8%).

Ao observar somente as classes A e B, as primeiras colocações são as mesmas: MRV (16,7%), Mota Machado (10,4%), Marquise (7,7%), Colmeia (4,8%) e C. Rolim Engenharia (3,9%). A quantidade de pessoas que não lembram ou não sabem o nome de nenhuma construtora é considerada alta: 14,8%. No recorte de renda mais alta, a cearense BSPAR aparece no ranking, com 2,8%.