70 anos da Fiec: Uma Efeméride na Pandemia

70 anos da Fiec: Uma Efeméride na Pandemia

Especial

70 ANOS FIEC – A interiorização da indústria no Ceará e a internacionalização dos negócios seguem entre os desafios da entidade no novo ciclo

Crédito: KARLSON GRACIE

ano é 1950, Brasil elege Getúlio Vargas presidente e sedia a Copa do Mundo de Futebol. Enquanto isso, era criada no Estado a Federação das Indústrias do Estado do Ceará. 

A entidade nasce com o apoio dos sindicatos da Indústria de Fiação e Tecelagem em Geral do Estado do Ceará; da Construção Civil de Fortaleza; da Indústria de Calçados de Fortaleza; da Indústria de Tipografia de Fortaleza; e de Alfaiataria e Confecção de Roupas para Homens de Fortaleza.

Teve sua sede inicialmente instalada no 3º andar do Edifício Jangada, à rua Major Facundo, nº 253, no Centro da Capital. Em setembro de 1989, foi inaugurada a sede na Av. Barão de Studart. Funciona no atual prédio, batizado de Casa da Indústria, a administração das entidades: Fiec, Sesi, Senai e IEL, bem como 39 sindicatos filiados à Federação.

 

1950

  • 12 de maio, foi criada a Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec). Waldyr Diogo foi escolhido como primeiro presidente 

1953

  • Anuário Estatístico do Brasil registrava 26 fábricas de óleo no Ceará

  • Início da transferência de energia da Hidrelétrica de Paulo Afonso (BA) para o Ceará 

1955

  • Criado o núcleo do Sistema Social da Indústria (Sesi) no bairro Parangaba, em Fortaleza

1956

  • Em setembro, o Grupo J.Macêdo inicia as atividades industriais do Moinho Fortaleza no Porto do Mucuripe 

1958

  • Implantada no Cariri a fábrica de cajuína São Geraldo e o engarrafamento do refrigerante internacional Crush

1959

  • Instalação do Grande Moinho Cearense, em Fortaleza

  • Inauguração da Cia Cearense de Cimento Portland, em Sobral 

1961

  • Inaugurada a Ipecea, pioneira na indústria de frios e pescas, em Fortaleza

  • A Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene) cria o Programa de Reequipamento da Indústria Têxtil. Ceará tem oito empresas contempladas

1962

  • Fundada a Companhia Industrial de Óleos do Nordeste (Cione) com 95% da produção de castanha de caju exportada para o mercado internacional 

1963

  • Inaugurada a Esmaltec S/A do Grupo Edson Queiroz, em Fortaleza

1964

  • O governador Virgílio Távora instituiu o Plano de Metas (Plameg I) para incentivar a industrialização pela distribuição de energia elétrica da Usina de Paulo Afonso 

1965

  • Criada a Companhia Docas do Estado do Ceará com o objetivo de alavancar as importações e exportações por meio do Porto do Mucuripe em Fortaleza

1966

  • Inauguração do Distrito Industrial de Maracanaú 

1968

  • O presidente da Fiec, Thomás Pompeu de Souza Brasil, é eleito presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), ficando no cargo até 1977 

1971

  • Criado o Instituto Euvaldo Lodi (IEL)

1973

  • Grupo Vicunha chega ao Ceará associado às famílias Otoch e Baquit 

  • Inauguração do Sesi no Crato 

1974

  • Criação da Medalha do Mérito Industrial

1979

  • Governo do Estado do Ceará cria o Fundo de Desenvolvimento Industrial (FDI) para incentivar a vinda de indústrias para o Estado com o financiamento parcial do  Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS)

1980

  • O Sesi e o Grupo J.Macêdo criam o Centro de Treinamento do Senai para moagem e panificação, o primeiro centro formador de mão de obra especializada para indústria moageira da América Latina

  • Fundadas as fábricas de fiação Santana Têxtil e Têxtil Bezerra de Menezes 

1981

  • Inaugurada a primeira siderúrgica no Ceará, a Gerdau – Siderúrgica Cearense

1989

  • Em setembro é inagurado o prédio da chamada Casa da Indústria, na Av. Barão de Studart, 1980

  • Criada a comissão de Comércio Exterior ligada à Fiec para fomentar a exportação de produtos cearenses 

1993

  • Capitaneado pela Fiec, instituiu-se o Pólo Graniteiro do Ceará pelo então governador Ciro Gomes 

1995

  • Criada a Troller, fábrica de veículos em Horizonte. Em 2007, foi incorporada à Ford do Brasil 

1998

  • Instalada no Ceará a indústria de calçados Dakota e a de confecções Marisol 

  • Fiec cria o Centro Internacional de Negócios do Ceará (CIN Ceará) com o objetivo de fomentar as exportações 

2000

  • Inaugurado o Posto do BNDES na Fiec 

  • Inauguração do Centro de Tecnologia do Gás Natural, unidade do Senai no Distrito Industrial em Maracanaú

2010

  • A indústria de confecção do Ceará consolida o Estado como importante produtor com a marca de 45 milhões de peças produzidas por ano 

2014

  • Inaugurado o Museu da Indústria 

2016

  • Distrito Industrial de Maracanaú celebra 50 anos 

2018

  • Fiec inaugura o Observatório da Indústria 

 

QUAL HISTÓRIA SERÁ CONTADA? 

O equipamento guardião da memória da indústria cearense terá de encarar o revés de contar a história de uma pandemia e o impacto na vida das pessoas e no segmento.

Os museus cumprem o papel de contar a história. Com o distanciamento temporal necessário para organização das ideias e dos fatos, o trabalho de arqueologia das informações elege um prisma por onde olhar e expor o que já passou. 

No Ceará, o Museu da Indústria nasceu há bem pouco tempo. Em 2014, a Federação das Indústrias do Estado do Ceará o inaugurou. Localizado no Centro de Fortaleza, ocupa um edifício da época do Império, datado de 1871, mas que não abrigou nenhuma indústria. Foi sede do primeiro clube social da cidade (Sociedade União Cearense) e, quando abrigou o Grande Hotel do Norte, teve a primeira sorveteria da Cidade.

De 1895 a 1935, foi ocupado pelos Correios, até ser adquirido pela The Ceará Tramway Light & Power Co. Ltda, companhia inglesa que explorava o serviço de energia e bondes elétricos de Fortaleza. Após 20 anos desocupado, o prédio foi adquirido pelo Sesi-CE, e as obras de restauração duraram nove anos. 

A proposta do equipamento é manter iniciativas no relacionamento com a sociedade, com disponibilidade do Centro de Pesquisa com mais de 800 títulos que não tratam somente da indústria local. 

As exposições seguem a proposta de longa duração e não são exclusivamente sobre a indústria. O acervo temático conta com exposições tanto em peças físicas, como em acervos virtuais.

Em 2020, o mundo passa por um momento histórico que atravessa a indústria fortemente em termos de consequências e adaptações. Como o Museu vai contar isso? O que será exposto quando a galeria abrigar os impactos da pandemia da Covid-19 na indústria cearense? Resta aos pesquisadores o olhar apurado e o registro atento dos acontecimentos para depois contar mais essa memória.

 

SERVIÇO

Museu da Indústria 

Endereço: Rua Doutor João Moreira, 143 – Centro – CEP 60030-000 – Fortaleza – CE

Telefone: (85) 3201 3901

Site:  www.museudaindustria-ce.org.br

 

VISITAS

De terça-feira a sábado: das 9 horas às 17 horas
(com acesso até às 16h30)

Domingo: das 9 horas às 13 horas
(com acesso até às 12h30)

 

GALERIA DOS PRESIDENTES 

A Federação das Indústrias do Estado do Ceará (Fiec), fundada pelo engenheiro civil Waldyr Diogo de Siqueira, chega aos 70 anos com uma galeria de 11 presidentes, após ter ocupado duas sedes, o Edifício Jangada, no Centro da Capital, e a atual, a Casa da Indústria, na avenida Barão de Studart, em Fortaleza. O segundo presidente, Thomás Pompeu de Souza Brasil Netto, foi o único a também estar à frente da Confederação Nacional da Indústria (CNI).