Anuário Datafolha Top Mind 2021-2022

Pesquisa Exclusiva

ÁGUA MINERAL

A Indaiá é campeã, pelo segundo ano consecutivo, na categoria Água Mineral da   pesquisa Anuário Datafolha Top of Mind. Nesta edição, 2021-2022, o índice atingido foi próximo ao obtido no ano passado, oscilando de 63,8% para 62%. Com mais de meio século de história, Indaiá é uma marca estratégica da Minalba Brasil, empresa de alimentos e bebidas do Grupo Edson Queiroz. A empresa é detentora das marcas Indaiá, São Lourenço, Petrópolis, Refri, Citrus e do energético Night Power, além de possuir o licenciamento da marca Nestlé Pureza Vital e a concessão para a distribuição das marcas globais premium Perrier, S. Pellegrino e Acqua Panna, além da cerveja Estrella Galicia e do suco Natural One.

Segundo a diretora de marketing da Minalba Brasil, Camila Coutinho, a Indaiá está presente na rotina dos cearenses. “Além da tradição e força no mercado brasileiro, temos uma história que ultrapassa gerações e se funde com a história dos cearenses. Aqui está nossa matriz e trabalhamos incansavelmente para atender e encantar nossos consumidores, com um portfólio de produtos que acompanham as diversas ocasiões de consumo e levam saúde e praticidade para o dia a dia do nosso público. Somos muito gratos.”

Permanece na vice-liderança a Naturágua, pertencente ao Grupo Telles. A marca foi lembrada por 14,4% dos entrevistados, índice superior ao obtido no ano anterior (10,3%).

Com índices mais baixos aparecem: Neblina (2,4%), Ouro Azul (2,4%), Serra Grande (2,2%), Santa Clara (1,9%), Santa Mônica (1%), entre outras marcas menos lembradas. A parcela que não soube dizer o nome de nenhuma marca de água mineral oscilou de 1,4% para 2,1%.

Nas classes A e B, o resultado foi semelhante: Indaiá permaneceu no topo, com 71,3% das menções, seguida por Naturágua (17,8%), Neblina (3,7%), Crystal (1,3%) e Santa Mônica (1,2%). Diferente do resultado do público geral, a porcentagem dos que não souberam ou não lembraram nenhuma marca, neste recorte, diminuiu: era 2% e agora foi de 1% dos entrevistados.