Representação Parlamentar

Os mais influentes na Assembleia Legislativa

O deputado estadual que preside a Assembleia Legislativa é, habitualmente, apontado como o nome de maior influência política na Casa. Em 2016, foi confirmada a tendência observada pelo Anuário do Ceará: desde que assumiu a presidência da Assembleia, em 2013, José Albuquerque (PDT) é considerado o parlamentar mais influente. Neste ano, manteve a mesma posição de pesquisas anteriores, indicado por 25 colegas — um a menos que na última pesquisa.

Zezinho chegou ao cargo depois de três biênios consecutivos como primeiro secretário da mesa diretora, segundo cargo mais poderoso da Casa. Aliado dos Ferreira Gomes, acompanhou o grupo político de Cid Gomes na migração para o Pros, em 2013, e para o PDT, em 2016. Em 2014, foi cotado como pré-candidato ao Governo do Estado pelo Pros, o que não se concretizou, mas teve destaque como um dos principais articuladores na campanha do atual governador, Camilo Santana (PT).

Assembléia Legislativa

Evandro Leitão (PDT) foi indicado por 22 parlamentares e ocupou,   neste ano, o segundo lugar no ranking — subindo uma posição desde a última votação, quando ficou em terceiro lugar empatado com o parlamentar Heitor Férrer (PSB). Evandro foi   secretário do Trabalho e Desenvolvimento Social durante a gestão de Cid. Na Casa, foi suplente de deputado na legislatura passada, assumindo a cadeira deixada por Patrícia Saboya (PDT). À época, tomou posse por decisão judicial, já que o 1º suplente do partido,    Adail Carneiro, havia migrado para o PHS. Férrer, por sua vez, ficou em sétimo lugar, com cinco votos. Em 2015, o ex-líder do PDT obteve 12 indicações.

Em terceiro lugar, com seis votos a menos em relação à pesquisa anterior, ficou o 1° secretário da mesa diretora, Sérgio Aguiar (PDT), com 13 votos. O parlamentar está no terceiro mandato consecutivo de deputado estadual, cargo assumido depois de atuar em duas administrações como prefeito do município de Camocim (eleito em 1996 e 2000).

Audic Mota (PMDB) subiu quatro posições em relação à votação de 2015 e se estabeleceu como o quarto parlamentar mais influente da Casa. Com três votos no ano passado, o parlamentar conquistou indicações de mais quatro colegas. Dr. Sarto (PDT) também foi um dos parlamentares que subiu posições. Na publicação anterior, o médico se encontrava em 15° lugar. Em 2016, Sarto subiu dez colocações, com cinco indicações a mais.

Capitão Wagner (PR) e Júlio César Filho (PDT) também ganharam mais menções. No ano passado, foram indicados por três e dois colegas, respectivamente. Na atual votação, ambos conquistaram cinco votos, assim como Férrer, e dividiram o quinto lugar. Já Ivo Gomes (PDT), que não participou da votação anterior, em virtude do afastamento dele para assumir a Secretaria da Educação de Fortaleza, obteve três votos e garantiu o sétimo lugar. Pertencente à tradicional família política Ferreira Gomes, o parlamentar ficou depois de Elmano de Freitas (PT), Tin Gomes (PHS), Renato Roseno (Psol) e Roberto Mesquita (PSD), que ocupam o atual sexto lugar, com quatro votos, cada.

Dos 46 parlamentares, 32 receberam indicações, 13 não receberam voto nenhum e 19 conquistaram apenas uma ou duas indicações dos colegas. Ano crítico na política brasileira, mudanças partidárias e novas possibilidades de alianças foram motivos para alterar, o mínimo que seja, o perfil da atual pesquisa de influência da Assembleia Legislativa.