Legislativo

Os mais influentes da Bancada Cearense no Congresso Nacional

O Anuário do Ceará pesquisa quem são os parlamentares mais influentes na bancada cearense no Congresso Nacional, na Assembleia Legislativa do Ceará e na Câmara Municipal de Fortaleza. Neste ano, dentre os 22 deputados federais e três senadores, o senador Tasso Jereissati (PSDB) e o senador Cid Gomes (PDT) empataram com 11 indicações. 

Tasso Jereissati está em seu segundo mandato (20032011 e 20152023). Ele governou o Ceará por três gestões: 1987-1990, 1995-1998 e 1999-2002. Tasso ocupa a primeira colocação neste ano, após ter sido o segundo mais votado nas duas últimas pesquisas. Cid Gomes está em seu primeiro mandato como senador. Ele foi governador do Ceará de 2007 a 2010 e de 2011 a 2014.

O segundo lugar desta vez ficou empatado entre o deputado federal Capitão Wagner (Pros), o deputado Domingos Neto (PSD) e o senador Eduardo Girão (Pode), com seis indicações cada.

A terceira posição é ocupada pelos deputados federais André Figueiredo (PDT), Heitor Freire (PSL), José Guimarães (PT) e Roberto Pessoa (PSDB), com três indicações cada um. André manteve a posição em relação à pesquisa anterior, embora com dois votos a menos. Também em comparação ao ano passado, Guimarães subiu uma colocação, mesmo com um voto a menos. 

Com duas indicações e em seu primeiro mandato, o deputado Idilvan Alencar (PDT) está no quarto lugar. Em seguida, na quinta posição, com apenas um voto, estão os deputados Denis Bezerra (PSB), Genecias Noronha (Solidariedade), Leônidas Cristino (PDT), Pedro Augusto Bezerra (PTB), Robério Monteiro (PDT) e Vaidon Oliveira (Pros). 

Na bancada cearense, nove não obtiveram nenhum voto. Quatro pesquisados indicaram dois nomes e um votante optou por escolher apenas um colega. A pesquisa foi realizada de 24 de abril a 5 de maio de 2019. Cada deputado e senador cearense, no exercício do mandato, foi convidado a votar em até três representantes do Estado no Congresso Nacional — excluindo o próprio nome. A votação é secreta. 

Os deputados federais Genecias Noronha (Solidariedade) e Dr. Jaziel (PSL) e o senador Cid Gomes (PDT) optaram por não indicar os seus votos.