Imposto

Saiba se o Imposto de Renda caiu na malha fina e como corrigir

17/06/2017
 
O pagamento do primeiro lote de restituições do Imposto de Renda 2016 está liberado desde a última sexta-feira, 16, pela Receita Federal. De acordo com a instituição, 1.636.218 receberão os valores, totalizando R$ 3 bilhões.

Neste primeiro lote estão contribuintes com prioridade: idosos e contribuintes que possuem alguma deficiência física, mental ou moléstia grave. O acesso à restituição pode ser feito no site da Receita ou pelo telefone 145.

 
Para saber se ficaram ou não na malha fina, os contribuintes devem acessar o Centro Virtual de Atendimento da Receita Federal (e-CAC), disponível neste link, e informar seu CPF, código de acesso e senha. Ajustes são possíveis antes que seja chamado pelo Fisco. A Receita Federal permite que o contribuinte tenha acesso ao detalhamento do processamento de sua declaração no próprio site da instituição.  Se for detectada alguma divergência, o Fisco apontará o item que precisará ser feita a correção. 
 
Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistências de dados identificadas pelo processamento. Nessa hipótese, o contribuinte pode fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora.
 
A Receita disponibiliza ainda aplicativo para tablets e smartphones, que facilita a consulta às declarações do IR e à situação cadastral no CPF. Com ele, será possível consultar diretamente, nas bases da Receita Federal, informações sobre a liberação das restituições e a situação cadastral de uma inscrição no CPF.
 
A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá fazer requerimento, pela internet, utilizando o Formulário Eletrônico – Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.
 
Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá contactar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento, nos telefones 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (exclusivo para pessoas com deficiência auditiva).
 
 
Com informações Agência Brasil