Ceará da Cultura

Bens Tombados pela União no Ceará

AQUIRAZ

Mercado da Carne

(Mercado das Artes)
O Mercado da Carne desperta admiração a quem o visita em virtude da técnica da construção, com destaque para o uso da carnaúba e do tijolo adobe. Erguido no século XIX, o local possui uma harmonia geométrica do teto que mostra o ar arrojado da construção. Na sua parte central, a carne era vendida ao público. Junto a essa construção, há uma outra em formato de L, na qual está um conjunto de lojas, que ficam diretamente para a rua. Durante décadas, o Mercado da Carne foi o coração comercial da cidade, até que, em 1984, o prédio foi tombado. Atualmente, o local abriga um centro cultural, onde funcionam várias oficinas de artes, além da biblioteca pública da cidade.

Endereço: Rua Santos Dumont, s/n – Centro – CEP: 61700-000

ARACATI

Casa de Câmara e Cadeia

Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário

Sítio Histórico de Aracati

CAUCAIA

Casa de Câmara e Cadeia

FORTALEZA

Coleção Arqueológica do Museu da Escola Normal Justiniano de Serpa

FORTALEZA

Passeio Público
Um dos pontos históricos do Centro de Fortaleza, o Passeio Público era originalmente conhecido como o Campo de Pólvora. Foi cenário da morte dos integrantes do movimento separatista e republicano Confederação do Equador, que rendeu ao local o nome também de Praça dos Mártires. Ponto de encontro dos jovens no século XIX, a praça possuía uma pista de patinação e um espaço para quermesse. Palco de outros acontecimentos históricos, como reuniões abolicionistas, destaca-se por sua área ajardinada. No local, está situado ainda o busto de Delmiro Gouveia, considerado o precursor da industrialização no Nordeste. Recuperado para visitação em 2007, atualmente o Passeio Público é mantido pela Prefeitura e funciona como espaço de lazer, com restaurante e programação musical.

Endereço: Rua Dr. João Moreira, s/n – Centro – CEP: 60025-100

FORTALEZA

Assembleia Provincial

(Museu do Ceará)
Primeira instituição museológica oficial do Estado, o Museu Histórico do Ceará foi aberto oficialmente ao público em 1933. Após passar por reformas e ganhar novas peças para seu acervo, reabre em 1955 com a denominação Museu Histórico e Antropológico do Ceará. Atualmente, a instituição se encontra no Palacete Senador Alencar, imóvel de significativo valor histórico com características arquitetônicas neoclássicas. Além de ter um dos maiores e mais importantes acervos do Estado, o museu promove oficinas, palestras, cursos, capacitação de professores e visitas orientadas, destacando-se como um núcleo de ações educativas em parceria com a Universidade Federal do Ceará (UFC).

Endereço: Rua São Paulo, 51 – Centro – CEP: 60030-100

FORTALEZA

Casa de José de Alencar
A pequena casa, que foi por nove anos o lar do escritor cearense José de Alencar, autor de clássicos da literatura nacional, como Iracema e O Guarani, é hoje um dos pontos da cidade de Fortaleza onde se respira cultura e história. O Sítio Alagadiço Novo, que abriga a casa, foi adquirido pelo seu pai, o padre José Martiniano de Alencar, em 1825. Toda a propriedade é, atualmente, mantida pela UFC e, por lá, os visitantes conhecem um pouco mais sobre a história do escritor e as suas obras. A UFC também abriu para visitação pública o edifício‑sede, que passa a abrigar o acervo museológico, artístico, antropológico, arqueológico, histórico e literário.

Endereço: Av. Washington Soares, 6055 – Messejana – CEP: 60830-640

FORTALEZA

Theatro José de Alencar
Iniciada em 1910, a construção do Theatro José de Alencar foi uma decisão mais política que cultural. Os espetáculos eram realizados em outros lugares, mas a existência de um teatro monumental era indício de urbanidade e civilidade. Hoje, mais de um século depois, o projeto do engenheiro militar Bernardo José de Melo é referência artística e turística nacional. O prédio tem duas fachadas, e a estrutura metálica, novidade na época, foi importada da Escócia. Tombado pela União no ano de 1964, o conjunto passou por uma grande reforma em 1990 para instalar ar refrigerado, retirar duas colunas para aumentar a visibilidade da plateia, fazer o vedamento contra ruídos externos e incorporar um anexo, onde funciona a Biblioteca Carlos Câmara e são realizados cursos e ensaios. O Theatro José de Alencar tem capacidade para 800 pessoas e ocupa uma área construída de 3.800 m².

Endereço: Rua Liberato Barroso, 525 – Centro – CEP: 60030-160

FORTALEZA

Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção
Em 1603, colonizadores portugueses ergueram o Forte de São Tiago onde hoje é a Barra do Ceará. Depois de ataques de índios e da primeira grande seca registrada no Estado (1605‑1606), a fortaleza foi abandonada. Em 1649, holandeses ergueram o forte Schoonenborch, nome que homenageava o governador holandês em Pernambuco. Em 1654, o forte foi tomado pelos portugueses e recebeu o nome de Fortaleza de Nossa Senhora da Assunção. Em volta dele, nascia a vila de Fortaleza. O forte foi tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em julho de 2008 e é ocupado pelo Quartel da 10ª Região Militar.

Endereço: Av. Alberto Nepomuceno, s/n – Centro – CEP: 60055-000

FORTALEZA

Solar Carvalho Mota
(prédio da antiga sede do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas – Dnocs)
Tombado em 1983 e atual Museu de Tecnologia de Combate à Seca, o edifício foi construído em 1907 e reformado entre 1934 e 1935, quando passou a abrigar a sede da antiga Inspectoria Federal de Obras Contra as Secas. Trata-se de um exemplar da arquitetura adotada no início do século XX, englobando elementos de diferentes estilos. O imóvel possui dois andares, janelas e portas em arco abatido. A fachada principal e a parte superior são decoradas por uma balaustrada encimada por pináculos. As janelas superiores da fachada principal apresentam formato em arco, todas as janelas do edifício possuem vedação em veneziana e as do segundo pavimento possuem balcão formado por gradil em ferro, entre outros elementos.

Endereço: Rua Pedro Pereira, 683 (esquina com a rua General Sampaio) – Centro – CEP: 60035-000

ICÓ

Casa de Câmara e Cadeia
Construída entre o final do século XVIII e o início do século XIX, ficou marcada na história quando ocorreu a Confederação do Equador no Ceará, durante o ano de 1824. O local serviu como sede para o governo legalista, foi palco de julgamentos, prisões e fuzilamentos de alguns dos revolucionários republicanos. Lá, Bárbara de Alencar e seu filho Tristão Gonçalves ficaram presos por três dias, antes de seguirem para Fortaleza. O prédio é construído com paredes de 1,5 m de espessura e até o início dos anos 2000 sediou a cadeia pública icoense. No local, além da cadeia, funcionou o Governo do Ceará e o Judiciário. Foi tombada em 1975.

Endereço: Rua Dr. Inácio Dias, s/n – Largo do Thebérge – CEP: 63430-000

Sítio Histórico de Icó

IGUATU

Fachadas da Igreja Matriz de Santana

ITAREMA

Igreja de Nossa Senhora da Conceição de Almofala

QUIXADÁ

Barragem do açude Cedro
O mais antigo açude do Brasil começou a ser construído em 1873, por determinação de D. Pedro II, para amenizar a falta d’água nas secas periódicas. Sua inauguração só se deu em 1906, no governo de Afonso Pena. A edificação contou com a mão de obra escrava e de flagelados da seca. O açude dá origem a uma rede de canais de irrigação, a primeira do Ceará. Dispõe de lugar para banho, pesca de barco, e para a prática de esportes náuticos.

Conjunto de Serrotes de Quixadá

QUIXERAMOBIM

Casa de Câmara e Cadeia

SOBRAL

Sítio Histórico de Sobral
O município reúne vários tipos de arquitetura produzidos em diferentes épocas. As construções datam dos séculos XVIII, durante o Ciclo do Gado —, XIX — nos Ciclos Comercial e do Algodão — e XX — na época do Ciclo Industrial. A característica fundamental é o ecletismo dos estilos art nouveau e art déco. O conjunto abrange o Arco de Nossa Senhora de Fátima, a Praça São João, parte da avenida Dom José e do Beco do Cotovelo até a Igreja do Rosário, o mais antigo templo da cidade, construído em 1777.

VIÇOSA DO CEARÁ

 

 

Igreja Matriz de Nossa Senhora da Assunção
É uma das igrejas mais antigas do Ceará e foi construída por jesuítas e índios no século XVIII. Sua estrutura central — em sua maioria preservada — possui piso do altar-mor de madeira da época da sua edificação. O mobiliário e os objetos usados nas celebrações religiosas mantêm suas características originais, assim como os santos esculpidos em madeira que datam do mesmo período. Na frente da igreja, ainda é mantida a praça onde os missionários da Companhia de Jesus davam aulas aos índios. A igreja foi tombada pelo Iphan em 2002.

Endereço: Praça Clóvis Beviláqua, 589 – Centro – CEP: 62300-000

 

Sítio Histórico de Viçosa do Ceará

BENS REGISTRADOS PELA UNIÃO

Festa do Pau da Bandeira de Santo Antônio de Barbalha

Roda e ofício de Mestre de Capoeira

Teatro de Boneco Popular do Nordeste – Cassimiro Coco